Enquadramento Sócio/Económico

Descrição e imagens do modo de vida dos habitantes de Fátima, na época das aparições

 

Na altura das aparições, Fátima era uma aldeia (foi elevada a cidade em 1997), situada nos contrafortes da Serra D’ Aire, a 300 m acima do nível do mar, no maciço calcário estremenho. Um sítio árido, com solos rochosos e pouco férteis, clima quente e seco no Verão, com pluviosidade anual média elevada. Os habitantes dedicavam-se principalmente à pastorícia e à agricultura de sequeiro. As condições naturais do local não facilitavam a que a população lograsse de uma vida rica e próspera. Para mais, o ambiente político-social instável do País: implantação conturbada da república, manifestações violentas de grupos políticos, revoltas e sublevações militares frequentes, profundas divisões políticas (entre republicanos versus pró-monárquicos, bem como entre várias facções rivais de republicanos); sucessão de Governos breves e fracos; intensificação da participação de Portugal na primeira grande guerra, etc…, agravava as dificuldades de vida e a pobreza da população.

 

| Imagens de actividades dos habitantes de Fátima, em Aljustrel, na altura das aparições.

 

| Imagem do pórtico da Igreja do Santuário

 

| Imagem do Santuário e Cova da Iria

 

| Imagem do poço do Arneiro, ao pé da casa da Lúcia. Onde houve a segunda aparição do Anjo aos Pastorinhos

 

| Igreja Matriz de Fátima, na altura das aparições

 

Texto de autoria de Daniela Marto