Segredo de Fátima

Segredo de Fátima revelado por Lúcia, por intermédio da Igreja

O Segredo de Fátima é constituído por 3 partes. Lúcia revelou as 2 primeiras partes em 1941, numa carta ao Papa Pio XII, as quais foram divulgadas à população pela igreja:

  • Primeira parte – Visão do Inferno;
  • Segunda parte – Devoção do Imaculado Coração de Maria, pela consagração da Rússia ao Imaculado Coração de Maria (e à Fé Cristã), e pela comunhão reparadora nos primeiros Sábados, do mês. Se estes desígnios não fossem cumpridos, e continuassem a ofender a Deus, uma outra grande guerra, eclodiria no reinado de Pio XI.

A Primeira Consagração ao Imaculado Coração de Maria foi feita em 13 de Maio de 1931, pelo Episcopado Português, no seguimento da Mensagem de Fátima.

Pio XII consagra, em 31 de Outubro de 1942, o Imaculado Coração de Maria ao Mundo, com menção velada da Rússia, segundo o pedido de Nossa Senhora. E, em 7 de Julho de 1952, faz a consagração da antiga União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), ao Imaculado Coração de Maria.

A terceira parte foi entregue em 4 de Abril de 1957, num sobrescrito, ao Arquivo Secreto do Santo Ofício, e foi divulgada parcialmente sob o pontificado de João Paulo II, que a leu após o atentado de que foi vítima em 13 de Maio de 1981. O segredo foi revelado em 2000 pelo cardeal Ângelo Sodano, na homília de 13 de Maio, aquando da visita de João Paulo II a Fátima. No entanto o texto integral só foi lido na íntegra em 26 de Junho de 2000, pelo cardeal Ratzinger, actual Papa Bento XVI.

 

  • Terceira parte – Massacre do Papa e prelados no alto de uma montanha.

Lúcia revelou que, na aparição de 13 de Outubro de 1917, viu três anjos: um com uma espada de fogo na mão, pedindo penitência pelos pecados feitos contra o Sagrado Coração de Jesus, despendia chamas que pareciam irem incendiar o Mundo, no entanto eram aplacadas pela Nossa Senhora. Enquanto os outros dois anjos colhiam o sangue derramado pelo Papa, religiosos e centenas de fiéis, em consequência de massacres à Igreja.